photo 9590ad90-645d-45c2-a6e4-91e48213f14b_zpsrvkhcolv.jpg
| Mistic Angel

17 de setembro de 2012

Cooperação Mental
 
 
Enquanto persista o esclarecimento endereçado ao sofredor desencarnado, é imperioso que os assistentes se mantenham em harmoniosa união de pensamentos, oferecendo base às af irmativas do dirigente ou do assessor que retenha eventualmente a palavra.
Não lhes perpasse qualquer idéia de censura ou de crueldade, ironia ou escândalo.
Tanto o amigo que orienta o irmão infortunado quanto os companheiros que o escutam abrigarão na alma a simpatia e a solidariedade, como se estivessem socorrendo um parente dos mais queridos, para que o necessitado encontre apoio real no socorro que lhe seja ministrado.
Forçoso compreender que, de outro modo, o serviço assistencial enfrentaria perturbações inevitáveis, pela ausência do concurso mental imprescindível.
O dirigente assumirá a iniciativa de qualquer apelo à cooperação mental, no momento em que a providência se mostre precisa, e ativará o ânimo dos companheiros que, porventura, se revelem desatentos ou entorpecidos, desde que o conjunto em ação é comparável a um dínamo em cujas engrenagens a corrente mental do amparo fraterno necessita circular equilibradamen te na prestàção de serviço.
 
 
Andre Luiz
 
 

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Cooperar sempre ou se calar, vejo ser a melhor postura.
[ ] Célia.